sábado, 14 de fevereiro de 2009

Deixem-me ser... ou sonhar, pelo menos...!

"Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim
Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser."

5 comentários:

  1. Não te sabia poeta Sr. António :P

    Mas permite-me discordar do que dizes. Podes sempre ser o que quiseres ser, nem que seja nos sonhos. Só tu tens esse poder. Não peças para sonhar, simplesmente sonha e sê o que quiseres.

    É tão bom poder sonhar com aquilo que se quer e principalmente ser-se aquilo que se quer na realidade.

    beijinho e dcp a invasão

    ResponderEliminar
  2. "Eles não sabem, nem sonham,
    que o sonho comanda a vida
    Que sempre que um homem sonha
    o mundo pula e avança
    como bola colorida
    entre as mãos de uma criança."

    António Gedeão


    Nunca te esqueças deste pequeno poema...pelo menos dá-te por feliz por ainda não pagares para sonhar´!.

    ResponderEliminar
  3. Ritinha, não é invasão! Ora essa! dá um pulinho sempre que queiras. Em relação ao post, quis referir-me ás amarras que ás vezes temos à nossa volta, que nos são postas por várias pessoa e pelas mais variadas razões... sonhar não custa nada, mas com o panorama actual do mundo torna-se cada vez mais dificil. acho eu... =) Um beijinho e volta sempre*****

    ResponderEliminar
  4. Mastifer... tão bom que tenhas tirado o tempo para dar aqui um saltinho =) gostei do teu comentário! Um beijinho grande!!!

    ResponderEliminar
  5. «Penso: talvez o céu seja um mar grande de água doce e talvez a gente não ande debaixo do céu mas em cima dele; talvez a gente veja as coisas ao contrário e a terra seja como um céu e quando a gente morre, quando a gente morre, talvez a gente caia e se afunde no céu.»

    ResponderEliminar