terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Fingir ques está tudo bem.

Estou numa fase relativamente boa da minha vida. Relativamente porque nunca está tudo como queremos... e ainda bem, que é essa constante procura de mais que nos leva em frente...
No entanto não está tudo bem... estou numa fase da minha vida em que aliás, nada parece estar bem... mas eu “tenho que estar”... deixei construir uma imagem minha de que as coisas que afectam os outros, a mim nem me chegam a “dar que fazer”...
As coisas afectam-me... mais do que ás vezes pode parecer... este sou eu... sou o eu verdadeiro... preocupo-me, sofro... sou o que ás vezes precisa de “ajuda” em vez de ajudar...
Não quero que isto seja um grito de ajuda... não quero que seja visto como um querer e não ter... se vir que preciso efectivamente de ajuda vou ao médico... =)
“fingir que está tudo bem: o corpo rasgado e vestidocom roupa passada a ferro, rastos de chamas dentrodo corpo, gritos desesperados sob as conversas: fingirque está tudo bem: olhas-me e só tu sabes: na rua ondeos nossos olhares se encontram é noite: as pessoasnão imaginam: são tão ridículas as pessoas, tãodesprezíveis: as pessoas falam e não imaginam: nósolhamo-nos: fingir que está tudo bem: o sangue a ferversob a pele igual aos dias antes de tudo, tempestades demedo nos lábios a sorrir: será que vou morrer?, perguntodentro de mim: será que vou morrer? olhas-me e só tu sabes:ferros em brasa, fogo, silêncio e chuva que não se pode dizer:amor e morte: fingir que está tudo bem: ter de sorrir: umoceano que nos queima, um incêndio que nos afoga.”

1 comentário:

  1. Muito legal! reflete exatamente como me sinto. sábias palavras. abraço. :)

    ResponderEliminar