quinta-feira, 30 de abril de 2009

S.O.S

I'm sending out an S.O.S...!
não está fácil, isto!

domingo, 12 de abril de 2009

Acabar o curso = Perder a virgindade!

Bem, hoje, vá-se lá saber porquê... fui tomar banho (e o estranho da situação não está neste facto que eu sou lavadinho), e quando saí... Quase em me aperceber dei comigo e estava com a minha pasta de finalista na mão. A ler por alto as primeiras fitas... a recordar coisas e mais coisas que me meteram um sorriso na cara. Isto é "muita porreiro", mas logo depois ocorreu-me uma coisa: "Fo.....-se!!! Já acabei a mer..... do curso e nem me apercebi!!! Pu... que par..u esta merda!!!". Logo a seguir, tive uma espécie de epifania... O meu cérebro transformou-se numa auto-estrada, e as ideias eram os milhares de carros a circular... Desta confusão, com acidentes... Depois de cuidar dos feridos e de enterrar os mortos... LOL! O que se aproveitou foi o seguinte: "Acho que, no geral... Acabar o curso, é mais ou menos igual a perder a virgindade!". Pronto! Alguém tinha que dizer isto!
Porquê?? Perguntam neste momento os meus amigos? Ora passo a explicar:
Comecando no que já lá vai HÀ MUUUUITO tempo... =) perder a virgindade. Ora, a não ser que estejamos com o grau de alcolémia acima da média, que estejamos "pedrados", ou que sejamos a pessoa mais "ZéZé Camarinha" deste mundo, o momento da perda da virgindade representa um dos pontos mais altos de nervos nas nossas vidas de adolescente. Certo? Não digam que não que vos chamo já mentirosos!!! Eu estava!! Ora e depois de tanto esperar, de tanto controlar nervos... De tanto esperar por aquele momento... Eis que ele chega! Entra-se no quarto (Ou recosta-se o banco do carro, depende)... Dão-se uns beijinhos... tiram-se as roupas, que se tornam dispensáveis na altura... Carinho ali, carinho aqui... e... "truk" "truk" "truk"... Já está!! Voltam-se a dar uns miminhos... roupa pró pelo que já faz frio e tem que se voltar pra festa... E é isso!... Perdemos a virgindade... Então e a festa? os confetis? os parabéns da malta??? Porra, pelo menos já nos nascia uma coisa qualquer pra malta saber! "Olha aquele(ou aquela) já tem o sinal no pescoço, já não é virgem" epa, qualquer coisa! É que pra uma situação tão importante... As mudanças não são assim tantas!
Agora o segundo caso... Acabar o curso... Ora bem... Até há a festa... Até a malta a dar-nos os parabés... Até há o baile de finalistas... Mas falta qualquer coisa! foda-se (E agora sinto-me a perder as estribeiras), andámos quatro anos (Eh, ainda sou do tempo dos cursos de 4anos), a ir a aulas que nos tiravam horas de bebida numa esplanada qualquer... E todos sabemos o que isso custa! Quatro anos a "esturrar" dinheiro, que nem uns malucos, e depois... Assim de um momento para o outro, "Vá, passa aí 290€, toma o diploma e... "truka" (reparem, o truka sempre presente), és licenciado, vai-te foder, vai trabalhar! (Tô muita, nervoso, não sei se já notaram pelo uso de asneiras). Ora... Quais as diferenças de uma pessoa que entra na sala antes de pagar o diploma (ainda estudante) e a que sai de lá (já licenciado, "doutor")... ABSOLUTAMENTE NENHUMA!!!! Como não houve quando perdemos a virgindade! Ainda me apetece beber shots feito bárbaro, ainda me apetece beber cerveja até perder a noção... Ás vezes ainda me apetece "vestir o 10 e espalhar magia"... Mas... Ah, e tal... já acabou o curso... Como o outro... "Ah, tenho 16 anos, já perdi a virgindade... Queria ir brincar com o Action Man, mas fica mal"
PUTA QUE PARIU ESTAS MUDANÇAS REPENTINAS QUE UM PESSOA NEM TEM TEMPO PA SE HABITUAR Á IDEIA! =)
Que post mais parvo, não é? =)

sábado, 11 de abril de 2009

Nascido em St. Ann's Parish, na Jamaica, filho de pai branco e mãe negra, Bob Marley deixou a sua casa aos 14 anos para se dedicar à música. Depois de um período de aprendizagem, durante o qual actuou com artistas mais estabelecidos, viria a tornar-se famoso quando formou a banda The Wailers, com Peter Tosh, Bunny Livingstone, Junior Braithwaite, Beverley Kelso e Cherry Smith, por volta de 1963. A sua associação a produtores como Coxsone Dodd, proprietário do famoso Studio One, seria essencial para o seu futuro sucesso. Depois do primeiro single "I'm Still Waiting", Bob Marley & The Wailers foram gradualmente subindo nas tabelas jamaicanas, até que Braithwaite e Smith deixaram o grupo, ficando Bob o vocalista principal. Até 1966, ano da dissolução da banda, gravaria mais de 70 canções com Coxsone Dodd. Depois disso, Marley viajou até Newark, nos Estados Unidos, onde a sua mãe vivia há alguns anos, para trabalhar numa fábrica, mas em pouco tempo voltou à Jamaica, reunindo outra vez os Wailers com Tosh e Livingstone, e o trio tornou-se cada vez mais envolvido com a cultura rastafari e a sua divulgação. Criando a sua editora, lançaram "Bend Down Low".
No fim da turnê européia Marley e a banda foram para os Estados Unidos. Bob fez dois shows no Madison Square Garden, mas logo após caiu sériamente doente. Três anos antes, em Londres, tinha ferido o dedo do pé a jogar futebol. O ferimento tornou-se canceroso e, apesar de ter sido tratado em Miami, continuou a progredir. Em 1980, o câncer, na sua forma mais virulenta, começou a espalhar-se pelo corpo de Bob. Ele controlou a doença por oito meses, fazendo tratamento na clínica do Dr. Joseph Issels, na Bavária. O tratamento de Issels era controverso por usar apenas remédios naturais e não tóxicos e, por algum tempo, pareceu estabilizar a condição de Bob. Entretanto, repentinamente a luta começou a ficar mais difícil. No começo de maio ele deixou a Alemanha para voltar à Jamaica, mas não completou a viagem.

Bob Marley morreu num hospital de Miami na segunda-feira, 11 de maio de 1981. No mês anterior, Marley havia sido agraciado com a Ordem do Mérito da Jamaica, a terceira maior honra da nação, em reconhecimento à sua inestimável contribuição à cultura do país. Na quinta-feira, 21 de Maio de 1981, o Honorável Robert Nesta Marley O. M. recebeu um funeral oficial do povo da Jamaica. Após o funeral - assistido tanto pelo Primeiro-Ministro como pelo líder da oposição - o corpo de Marley foi levado à sua terra natal, Nine Mile, no norte da ilha, onde agora descansa em um mausoléu. Bob Marley morreu aos 36 anos, mas a sua lenda permanece viva até hoje.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Esta dá que pensar... ai se dá...

"A vida é uma pedra de amolar:
Desgasta-nos ou afia-nos... Conforme o metal de que somos feitos..."
George Bernard Shaw

quarta-feira, 8 de abril de 2009

"Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver do Universo...
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer,
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura... ...."
Fernando Pessoa
Sou Alentejano... dou Avisense e "marroquino" ao mesmo tempo... E se soubessem o orgulho que tenho nisso, até se arrepiavam. Um orgulho que desbrava vales a montanhas se for precisoo Não sei o que a vida me reserva, mas sei que nunca me vou esquecer do que aprendi aqui.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Gostei deste...

Devo confessar que gostei deste filme! Não pela realização, não pela história... não pelas performances dos actores e acrizes que nele participam... Mas gostei! Acho que devem ver.
Notinhg but the truth conta basicamente a história de uma jornalista que descobre a identidade de uma agente da CIA que está sob disfarçe, e a denuncia. Vai a tribunal e não quer divulgar a identidade do informador que lhe deu tal informação... São invocadas leis que a obrigam a fazê-lo ou a ir presa, e ela... Vai presa! LINDO! Como ela diz... Vai, não por nada "que estejam a pensar, mas por uma questão de princípios".
Este filme fez-me pensar nas coisas que já perdemos, que sabíamos que íamos perder, mas que por uma questão de princípios.... De ideais... Não fizemos nada para manter... Porque sabemos que no fim de contas... Alguém nos vai estender a mão... Alguém vai ter uma palavrinha de ajuda e de consideração.... Alguém (como acontece no filme) nos faz uma festa surpresa por saber que, no fundo, estivemos "bem", que compreendem... e é isso que nos faz diferentes de cada um... São as acções... E a forma como, com elas marcamos as pessoas que nos conhecem!
Tenho dito, vejam!

P.S: Epah... depois, tem a participação da linda Kate Beckinsale!!! Esta senhora do Underworld. Por ela até eu me deixava morder. auuu! =)

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Eu e as minhas idéias.

Eu e as minhas idéias... Nunca sai coisa que se aproveite. Ando doente... Uma constipação "das antigas", como já não apanhava há muito tempo. E quando a senhora estava mesmo ali à porta a dizer adeus... eis que vem a vizinha dor de dentes e decide meter conversa! Resultado?? mais umas quantas horas de "convívio" com estas duas agradáveis senhoras... =)
Depois meti-me aqui a pensar que, pronto... tenho as limitações próprias de quem está doente... Mas acho que, comõ me acusam de não me sentir adulto por não ter trabalho... Por incrível que pareça, também não me sinto adulto porque parece que não me comporto como se estivesse doente, depois ninguém acredita.
Estes pensamentos revoltantes, levaram-me a pensar umas coisas: 1º: Quem é que está bem? Quem enfrenta as coisas com a postura de "adulto"... Mais pessimista...(ou mais realista, depende da perspectiva).... Ou quem enfrentas as coisas de uma forma mais "infantil" (perdoem-me a expressão), que acha que vai ficar tudo bem, e que independentemente do estado das coisas... anda sempre com um sorriso nos lábios e mais ou menos bem disposto?
2º, porque é que se acusam as pessoas mais "infantis" de serem irresponsáveis, menos capazes, afastados da realidade.... essas coisas...? Revolta-me até certo ponto porque me identifico com este último grupo =). E quem me conhece pode confirmar... =)

Ora em jeito de resposta, digo que quando estamos a crescer... Na nossa fase mais pura (de putos) achamos, e bem que o mundo é um parque de diversões. Temos problemas à nossa medida, mas nunca deixamos de sorrir e de brincar... De sermos afinal, felizes... Também à nossa maneira. O crescer implica deixar de brincar? Deixar de sorrir? Deixar de ser feliz? Acho que não. Crescer implica ser responsável, acima de tudo. Ser consciente, é verdade... Mas não está no "código do crescimento" que temos que ficar carrancudos, e maus feitios... Acho eu.
A vida não tem que ser um gigantesco parque de diversões... Uma Walt Disney... Não tem. Concordo. Mas pode ser, e deve sempre ser um pequeno parque de recreio (nem que seja daqueles pequeninos das aldeias), onde independentemente de tudo podemos sempre brincar, sorrir, e por momentos não pensar no que nos rodeia, poque pensando muito nisso... passamos de "infantis" a "pessoas rancorosas e irremediavelmente aborrecidas". =) Sinceramente prefiro a primeira....
Pronto, tenho dito!!! =)
Bem haja a todos os "infantis" deste mundo!

domingo, 5 de abril de 2009

Por entre as linhas também se fala

Por entre as linhas também se fala. Por entre as linhas, quase que existem outros textos... Falando de coisas banais também se fala das coias mais importantes das nossas vidas... Entre as linhas, lá está... Também se transmitem sentimentos importantes... Mesmo agora estava a navegar na net, e vi um texto que me parou a vista... leiam e vejam se não vos prende também.
"Partiu-se uma caneca, partiu-se a caneca azul que trouxemos de Estocolmo.
Lembro-me tão bem desse dia: esteve sol, andámos de bicicleta e, ao voltarmos para o hotel, comprámos uma caneca.
Hoje, essa caneca partiu-se.
Lembro-me tão bem do dia em que a comprámos, só que agora vou esquecer-me porque agora já não temos a caneca."

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Como em qualquer relação...

Como em qualquer relação, as coisas vão-se sentindo aos poucos. Como em quaquer relação a confiança vai-se ganhando com o partilhar de intimidades, de segredos... De bocados de vida... Será possível haver um amor tão forte que nos leva à obsessão? Há... Uh... Se há... Estou a começar a dar-me conta de que estou perdidamente apaixonado... Por uma senhora que guarda tantos segredos meus, quanto o carinho com que eu a tenho no coração.
Admito, não é novidade para ninguém que já penso em "mudar a trouxa" e ir viver com ela... Para partilharmos, pelo menos uma parte das nossas vidas...
Estou apaixondo... uma paixão do mais sincero que pode haver.
Casava-me com ela, com a condição que ela me deixasse ter uma amante...
Amo Portalegre e estou profundamente apaixonado pela "minha" tuna... que fazer a isto? ainda dou em poeta louco... =)