sábado, 29 de agosto de 2009

Hoje, 29 de Agosto de 2009 o Rei faria 51 anos! Parabéns Michael!!!!
Emir Kusturica & the no smoking Orchestra... Não me vou alongar muito... Mas dizer apenas que nunca tinha assistido ao vivo a um caos tão harmonioso! Muito bom!
Todos temos um prazo de validade, assim ao estilo do leite e dos enlatados... Mas como todos os prazos de validade, o nosso também acaba. Cabe-nos então saber encarar isso da forma mais digna possível para que, quando nos apercebermos da coisa, ela não nos bata tipo comboio de alta velocidade mesmo no fucinho!
Tenho dito! =)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

llooll!!! my kind of humor! :)

Na edição de Agosto da FHM, em que a "tia" Maya está muito bem! não pude deixar de reparar que os senhores tinham ali uma espécie de tributo (muito ao estilo da FHM) ao Michael Jackson. Um tipo de humor que me agrada bastante... então não é que os rapazes foram buscar as frases mais "fixes" sobre a morte do Rei??? vejam só o resultado!

1 - Jackson conseguiu o que sempre quis: Ficar mais pálido!
2- Parece que Michael Jackson já não vai ao Optimus Alive!!
3- Agora que o Michael Jackson morreu a Maddie já pode sair do esconderijo!! (esta é das minhas preferidas!)
4 -Quando Farah Fawcett chegou ao céu, Deus concedeu-lhe um desejo. Ela pediu: "Quero que as crianças vivam felizes e seguras." Deus respondeu: "Concedido! Acabei de matar o Michael Jackson!"


Epah, eu adoro o MJ, a sério que sim! Mas isto está mesmo engraçado! O humor negro parte-me todo!!!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

"Apenas nos iludimos pensando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os que amei, todos os que se afastaram, todos os dias que se apagaram. Não perdi nada. Apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre"
Autor desconhecido

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O verão, além de ser a época de eleição para festas e amores "encalorados", parece-me a mim que é a altura do ano em que existem mais aniversários. Não será alheio a isto o facto de, no inverno, com frio se estar muito bem enroscado e a fazer a cedeirinha =) enfim...
Foi o meu aniversário há pouco tempo. Sabem as pessoas que comigo convivem que não ligo a estas datas. Prefiro antes comemorar feitos em vez de um dia que assinala que estou um ano mais velho.
Há uns dias tive um sonho (Já há muito tempo que não sonhava... Foi bom!). Não sei bem que idade tinha mas, em minha casa, um por um, os convidados iam-me entregando as prendas que eu, de uma forma desajeitada empilhava sem abrir. De repente palmas... cânticos de parabéns! percebi, por um instante que todas aquelas pessoas estavam ali por mim e que era efectivamente, o centro do universo.
E quem é que não gosta de ser o centro do universo, nem que seja e sonhos e por breves instantes?
Conselho deste parvinho... Isto para uma pessoa se safar tem que almoçar com o demónio e ir beber café com os anjos, senão tamos é bem encavadinhos da silva!
"Porque eu amei como se fossem eternos
A glória, a luz e o brilho do teu ser,
Amei-te em verdade e transparência
E nem sequer me resta a tua ausência,
És um rosto de nojo e negação
E eu fecho os olhos para não te ver!"
Sophia de Mello Breyner Andresen
Todos nascemos e todos morremos. É este o único dado adquirido em comum com toda a humanidade. É esta reles condição passageira que nos aproxima até de pessoas de quem queremos alguma distância (de segurança).
Gosto de pensar que cada um de nós está talhado para ser muito bom em alguma coisa. Se encontramos essa "coisa", essa vocação... Já é outra conversa.
A família, a escola, os amigos e até os "outros", todos nos elegem como uma centelha promissora (the next big thing), e todos parecem ter uma certeza inabalável que existe um território em que vamos ser dominantes! como se disso dependesse a nossa felicidade (e a deles).
Esta singularidade tão apetecível é tida como alcançavel só através da "concretização" profissional.
Serve este post portanto para vos dizer que da minha parte, passo esse tipo de "reconhecimento", que por outras palavras nos julga pelo que temos e não pelo que somos. Tenho ou não razão? hã?
Serve ainda este post para vos dar conta de que prefiro ser julgado, agora e no futuro, pelo que sou, pela forma como marquei aqueles com quem me tenho cruzado.
Quero, quando daqui a muitos anos fizer uma retrospectiva da minha vida, saber que a minha existência não passou despercebida, que não fui um "outro".
Não quero unca deixar de ter nome, ser "aquele" ou "o filho do Sr. X e da D. Y". Não quero perder entendimento de mim nem dos que me rodeiam. Espero nunca nunca ficar fora do alcançe das palavras e da memória das pessoas, isso assusta-me.
Quero ser o ToZé. Sempre. Quero ser personagem das histórias de café, mesmo daqueles com quem já não privo tanto qt gostaria.
Não quero ser especial, não é isso. Cada um com o seu espaço... Mas também nao quero, isso não, ser mais um que aqui ando a respirar o ar que podia bem ser para outra pessoa.
"Sou o único homem a bordo do meu barco.
Os outros são monstros que não falam,
Tigres e ursos que amarrei aos remos,
E o meu desprezo reina sobre o mar."
Engraçado é quando os pedaços de porcelana afinal percebem que também são um bocado, no mínimo, feitos de pedaços de vidro... e esta hein?
"Da alma e de quanto tiver
Quero que me despojeis,
contanto que me deixeis
Os olhos para vos ver."
Luis de Camões

sábado, 1 de agosto de 2009

Estou a acabar a viagem com os meus novos companheiros. Mwanito não parece o mesmo e Ntunzi também está mudado. Contamos agora com a companhia de Marta e de "vidas" que me têm vindo a viciar. Que bela história!!!
Aconselho vivamente a quem aprecia histórias de amor(es).
Grande Mia Couto!