segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Sai mais uma apresentação!

Olá meus caros,
Eis que vos trago mais uma recordação minha! Esta fotografia serve para vos apresentar a minha "irmã" mais nova. lol...
A menina bonita que estão a ver na fotografia é a Ana Leal. Se é que é possível amar sem haver vontade de envolvimento físico, eu amo esta rapariga. Desde o primeiro dia que a vi na sala de aula que axava que a minha relação com ela não ia ser igua à que teria com as outras raparigas. E não me enganei. Deu-me conselhos, berrou comigo quando teve que o fazer, safou-me em muitas ocasiões... e sem se aprerceber foi uma das maiores ajudas que tive num dos piores momentos da minha estadia em Portalegre.
É assim como o Luis Figueira... a vida afastou-nos mas não há dia que não pense nesta pessoa. Se está bem, se anda feliz... preocupo-me com ela... afinal somos irmãos... Digo-vos sem sombra de dúvidas que é das pessoas que mais admiro na vida! E olhem que não sou de me impressionar com facilidade, e de admirações fáceis. A força e a determinação com que encara as coisas faz-nos mesmo acreditar que vamos ser grandes e que o futuro só pode ser risonho.
Que saudades eu tenho desta pessoa...




domingo, 14 de fevereiro de 2010

E a segunda fotografia ééé...

Como já tinha dito, o novo rumo deste meu espaço vai levar-me a mostrar-vos fotos minhas que quero partilhar com vocês.
A primeira foi da minha tuna, como não podia deixar de ser... Talvez o meu grande amor de Portalegre, ou pelo menos, das melhores coisas que aquela cidade me deu.
Esta segunda fotografia que vos trago foi tirada no dia da minha queima das fitas. Por causa do Processo de Bolonha, tive o privilégio de "queimar" com uma das pessoas que mais me marcou em Portalegre. O meu afilhado Luis Figueira.
A história desta foto, é então a seguinte: Quando o Figueira era caloiro, um dia saímos juntos, e esta tampa que estou a dar-lhe era de uma garrafa que nós tinhamos. Quando acabou o que tin ha dentro da garrafa, deitei fora e dita e fiquei c a tampa. ele lá me perguntou porque, e eu disse que ainda podia vir a precisar dela. Vida de estudante era assim...
Disse-lhe ainda que aquela tampa só haveria de desaparecer do meu capote quando ele, queimasse fitas (Sem nunca saber que seria comigo). O que estão a ver sou eu a dar-lhe a tampa, que ficou três anos no meu capote, para irmos os dois queimar. Um momento especial, simbólico mas que emocionou à quinta casa.
O Figueira não gostava muito de mim quando me conheceu, confessou-me ele uma vez. Duas semanas depois era padrinho de baptismo dele em Portalegre. Do nada construimos uma amizade de que me orgulho... Tenho orgulho nele... Como estudante, e como pessoa, sem me é sequer permitido tal coisa.
As nossas vidas levaram-nos para longe, agora falamos menos, mas este rapaz é daqueles de quem mais me lembro no dia a dia...
Resumindo, espero que ele tenha tanto orgulho em mim quanto eu tenho nele.


Seguem-se mais fotos...

Mais histórias...

aguardem....


Afinal isto de ser doutor... que choque! ;)

Ontém estava eu aqui muito descansadinho no trabalho, ia mesmo mesmo a sair e acontceu-me uma coisa que após poderação decidi partilhar.
Estava uma senhora a fzer o check out e a reclamar, bsaicamente por tudo... eu, decidi perguntar-lhe o nome para ver na reserva o que se tinha passado de mal.
O discurso foi o seguinte:

ToZé: "Então e a senhora está em que quarto?"
"senhora": "Eu estou no 112"
Tozé: "Então é a senhora..."

e antes que eu conseguisse sequer acabar, recebo esta bomba educaional:
"Senhora deve ser quem lhe limpa a casa, eu sou a Doutora X"

eu, educadamente, baixei a cabeça e disse: "Com certeza"
Só para que saibam que chamei aquela pessoa os piores nomes do mundo, nomes que acho nunca ninguém lhe chamou.
Esta doutora, onde quer que tenha estudado, no plano de estudos daquela universidade não havia a parte da educação. Mas também a educação é daquelas coisas que não se compra. Ou se tem ou não se tem, e esta senhora pelos vistos não a tinha.

'tá dito!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Acho que nunca tinha escrito nada desta género aqui no meu blog. Aqui vai uma opinião sobre um assunto sério.
Hoje ouvi que, um tal de TóJó, que em 2009 matou os pais com 33 facadas está na cadeia, e está a tirar um curso pela Universidade de Coimbra... curso esse, de DIREITO!!! Eu já me posso revoltar com isto porque são os meus descontos ao fim do mês que lhe estão a pagar o curso. Tendo em conta que este senhor matou duas pessoas, a única coisa a que ele deveria ter direito era mesmo ao resto da vida na cadeia, mas em vez diss... daqui a 15 anos está cá fora, pronto para julgar os outros, muitos deles por delitos muito menores do que aquele que o próprio cometeu.
As prisões pelo que me dizem, devem ser sitios onde os criminosos encontram a redenção dos crimes que fizeram. Pois bem, não sou a favor da pena de morte, mas sou a favor de a substituir pela prisão perpétua.
Nem tanto ao mar nem tanto à terra... Não vamos matar o homem que a vida humana não é de ninguém para acabar... mas também não lhe vamos oferecer um curso superior na Universidade de Coimbra não é?
Como está Portugal no ano de 2010...